Na TV, Bolsonaro defende “mídia livre”; a aliados, pede que evitem imprensa – Notícias

O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) disse nesta quinta-feira (11), em entrevista à RedeTV, que não pretende apresentar qualquer projeto de regulação dos meios de comunicação e que “a mídia tem que ser livre”. Nesse tema, o pesselista se opõe ao adversário no segundo turno, o petista Fernando Haddad, que tem a regulação da mídia como uma de suas plataformas de campanha.

A declaração de Bolsonaro vem no mesmo dia em que, em evento realizado nesta quinta, Bolsonaro afirmou a aliados que a mídia é uma adversária de sua campanha e, segundo a Folha de S.Paulo, pediu que correligionários evitem falar com jornalistas. “Tomem muito cuidado com a mídia. [Ela] quer ganhar uma escorregada para me atacar. Recomendo nem falar [com jornalistas], que parte da mídia quer nos desgastar.”

Gravada, a entrevista à RedeTV foi exibida no principal telejornal da emissora, o RedeTV News. O candidato tem priorizado TVs e rádios no atendimento à imprensa. As agendas de campanha e a participação em debates estão vetadas até a liberação médica, que, segundo ele, deve ocorrer na semana que vem. Bolsonaro está em fase final de recuperação do atentado a faca sofrido em 6 de setembro, em Juiz de Fora (MG).

No evento desta quinta, realizado no hotel Windsor, na Barra da Tijuca, no Rio, vizinho ao condomínio onde ele mora, Bolsonaro recebeu deputados do PSL e de outros partidos que manifestaram apoio. Segundo o coordenador político da campanha, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), mais de 300 políticos eram esperados. A organização do evento não informou quantos compareceram.

Durante o encontro, o candidato disse a correligionários que a campanha conseguiu “enfrentar fake news de toda ordem”. “O atentado [em Juiz de Fora] é porque nós somos um perigo não para a democracia, mas um perigo para os que teimam em não ser brasileiros.”

FONTE

Compartilhe essa notícia: